Peso Marcado

Numa rua sem saída,
Sigo em frente p'ra fugir.
Sigo as placas sem nome
- Alguém tem que as seguir.

Esventro a escuridão e
Estaciono junto à praia.
Deito-me com o banco e
Espero que a chuva caia.


Ouço os sons da rádio,
Tons fotografados a cinzento.
Sob um lampião de lucidez fundida,
Solto as cordas do meu lamento.

0 degraus subidos:

Enviar um comentário

Inspira. Escreve.