Poeira

Miss Scarlet Red

O sol não brilha todos os dias
neste oco espaço de coração em formato,
tingido por juízos e suspiros
de alma que atravessa a vida
pela calma e pela correria.
Abandonaste o meu nome
e a minha existência
(apesar da minha insistência)
e deixaste o sabor das recordações
que me passam pelas mãos.
Sento-me frente a frente
às dores apontadas e de
pontas desatadas.
Pinto os lenços com a cor das lágrimas
olhando para a esquerda,
olhando para a direita
e de coração corrompido
calco o abismo
e sigo.
E assim desperdiço o tempo
enquanto o deixo suspenso
nos ossos deste corpo
em esquecimento.

05.04.2017

0 degraus subidos:

Enviar um comentário

Inspira. Escreve.